Jump to content
Notícia
  • Adquira já o seu VIP!

Search the Community

Showing results for tags 'noticia'.



More search options

  • Search By Tags

    Type tags separated by commas.
  • Search By Author

Content Type


Forums

  • Anunciantes
    • Advertise here
    • silvaBR Cheats
    • Velozhost
  • ################## WEB CHEATS ##################
  • Anúncios/Eventos
    • Regras
    • Anúncios
    • Eventos do fórum
  • Feedback & Suporte
    • Tutoriais WC
    • Suporte
    • Sugestões
    • Denúncias e Reclamações
    • Depósito
  • Shooter Zone
    • Counter Strike
    • Valorant
    • Rainbow Six Siege
    • Outros Shooters em Geral
    • Shooter Zone - Lixão
  • Battle Royale
    • COD Warzone
    • Free Fire
    • PUBG - Playerunknown's Battlegrounds
    • Fortnite
    • Outros Jogos Battle Royale
  • MMO Zone
  • Outros Games Zone
  • Design Zone
  • Info Zone
  • ################## WEB CHEATS ##################
  • Entretenimento & Diversão
  • MarketPlace
  • Old WC's Bate Papo
  • 【FREE FIRE】▄︻┻┳═一's Fórum do Clube
  • Anticomunismo's Tópicos
  • Tópicos Importantes !'s Tópicos

Find results in...

Find results that contain...


Date Created

  • Start

    End


Last Updated

  • Start

    End


Filter by number of...

Joined

  • Start

    End


Group


Discord


Idade

 
or  

Found 468 results

  1. Boa noite ! Segue Noticias sobre Ações que aconteceram entre [08/03 até 09/03] Sei que é chato, fazer esse tipo de ato. Porém é um incentivo a trazer mais noticias assim e lhe deixar informado sobre oque acontece no Grand Chase History ! Colabore e Clique em Curti ( Like ) e saiba oque aconteceu . [Hidden Content]
  2. Denúncia lançada por série de 10 reportagens de jornalistas do canal TVI é investigada pelo Ministério Público do país Começou a ser transmitida em Portugal na semana passada uma série de dez reportagens chamada “O Segredo dos Deuses“, dentro do telejornal de horário nobre do canal TVI, o “Jornal das 8“. A primeira reportagem obteve o pico de audiência do dia no país, dando à emissora uma larga vantagem em relação a canais portugueses tradicionais como a RTP e a SIC. Mas que reportagens são essas? Trata-se de um escândalo que envolve acusações gravíssimas contra a Igreja Universal do Reino de Deus, fundada no Brasil por Edir Macedo. Após sete meses de intensa investigação conduzida pelas jornalistas Alexandra Borges e Judite França, a emissora apresentou a denúncia de que várias crianças teriam sido roubadas de suas mães na década de 1990 por meio de um lar ilegal pertencente à Igreja Universal do Reino de Deus. Em outras palavras: a organização é acusada de ter atuado como uma rede internacional de tráfico de crianças. De acordo com a investigação jornalística, os menores eram entregues no Lar Universal por famílias em dificuldades financeiras, sem o conhecimento nem a aprovação da Justiça portuguesa. As crianças eram então levadas para fora de Portugal e adotadas por bispos e pastores da denominação, desvinculadas de suas famílias biológicas e transferidas principalmente para o Brasil e os Estados Unidos. As reportagens informaram que até mesmo os netos adotivos de Edir Macedo foram retirados do Lar Universal e vivem agora como filhos de suas duas filhas. A TVI entrevistou a suposta mãe dos jovens, que diz ter sido vítima de um complô. Somente hoje, vinte anos depois dos fatos, é que muitas mães foram identificadas pelas repórteres e finalmente puderam ser ouvidas. Para elas, os seus filhos foram roubados. O Lar Universal foi aberto em 1994 e funcionou de forma ilegal até 2001. Dez anos depois, fechou as portas devido à crise econômica em Portugal. Mais informações sobre a série “O Segredo dos Deuses” podem ser consultadas diretamente no site da TVI: acesse aqui. O primeiro episódio da série de reportagens pode ser assistido no canal oficial da TVI no YouTube. Eis o vídeo: Resposta De acordo com a rede francesa RFI, que é um dos principais veículos informativos de abrangência internacional, a Igreja Universal negou as acusações e declarou que a denúncia seria fruto de “campanha difamatória”. A entidade alega que as reportagens se basearam no falso depoimento do ex-bispo Alfredo Paulo, que teria sido expulso da Igreja Universal. Em vídeo divulgado no canal oficial da organização no YouTube, os netos de Edir Macedo, Louis Carlos de Andrade e Vera de Andrade, hoje adultos, negam ter sido raptados e afirmam que a Santa Casa de Misericórdia e a justiça portuguesa autorizaram a sua adoção. Mais polêmicas Enquanto isso, no Brasil, a Record TV, emissora pertencente a Edir Macedo, está preocupada com o fracasso da sua telenovela “Apocalipse“, focada em atacar a Igreja Católica e em associá-la ostensivamente ao Anticristo. fonte: [Hidden Content]
  3. EUA põem fim à neutralidade da rede impulsionada por Obama (globalista safado) "A era da neutralidade na rede chegou hoje ao seu fim nos Estados Unidos. A Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), sob controle republicano, aprovou a revogação de medidas estabelecidas em 2015 para proteger a equidade na Internet. Revertendo o entendimento da rede como um “bem público”, no qual os provedores são obrigados a tratar todos os dados de maneira igual, sem importar sua origem, tipo e destino, será imposto um sistema que permite diferentes velocidades em função do pagamento e dos interesses dos operadores. Um triunfo do liberalismo, uma derrota das grandes empresas de tecnologia e, no mínimo, uma incógnita para o consumidor." Fonte : elpais No Video ;)
  4. Astrônomos, usando um sistema especial de telescópios (NGTS - Next-Generation Transit Survey), descobriram um planeta gigante que deveria ser quase impossível de ser encontrado orbitando uma estrela tão pequena. O inesperado planeta, chamado de NGTS-1b e do tamanho mínimo de Júpiter, é um gigante gasoso que orbita uma estrela com metade do diâmetro e da massa do nosso Sol. Distante 600 anos-luz de nós, as atuais teorias que explica a formação de planetas não suportam um planeta desse tamanho tendo origem de um sistema com uma estrela tão pequena. De acordo com as teorias hoje vigentes, pequenas estrelas podem prontamente formar planetas rochosos mas não conseguem juntar material suficiente para formar planetas do tamanho de Júpiter. NGTS-1b é o primeiro descoberto no Universo que faz isso e é o maior também já observado em relação ao tamanho da sua estrela de órbita. O planeta gigante é uma versão quente de Júpiter, mas com cerca de 20% menos massa. Está orbitando muito próximo a sua estrela - apenas 3% da distância entre a Terra e o Sol - e com um período orbital de 2,6 dias, significando que 1 ano em NGTS-1b dura pouco mais dois dias e meio. Sua temperatura superficial média é em torno de 530°C. Com esse novo achado, os pesquisadores querem agora saber o quão comum esse tipo de planeta é e já esperam otimizações nas teorias de formação planetária para englobarem a descoberta. DESCOBERTA A descoberta do NGTS-1b foi feita através do monitoramento das emissões de luz no vermelho da estrela, com a ajuda de câmeras inovativas sensíveis ao vermelho. Assim, os astrônomos notaram diminuições na emissão luminosa da estrela a cada 2,6 dias, sugerindo que um planeta estava ali orbitando e periodicamente bloqueando a luz estelar. Usando esses dados, o caminho de órbita do planeta foi traçado ao redor da estrela e o seu tamanho, posição e massa foram calculados através da medição da velocidade radial dessa estrela - mudanças no "balanço" da órbita estelar surgirão dependendo das dimensões do planeta e consequente efeito gravitacional por ele imposto. Referência: Warwick University [Hidden Content] [Hidden Content]
  5. [Hidden Content] Temer sanciona lei que torna crime hediondo posse ou porte ilegal de fuzil Informação foi dada pelo presidente durante ato no Planalto em que RJ e Caixa assinaram acordo de financiamento. No discurso, Temer afirmou: 'Não há como tratar bandidos com rosas nas mãos'. Presidente Michel Temer informou nesta quinta-feira (26) ter sancionado a lei que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de armas de fogo de uso restrito, a exemplo de fuzis. A informação foi dada pelo presidente durante evento no Palácio do Planalto no qual a Prefeitura do Rio de Janeiro e a Caixa Econômica Federal assinaram um acordo de financiamento. Durante o evento, Temer disse que "não há como tratar bandidos com rosas nas mãos." O projeto que virou lei foi apresentado pelo então senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), atual prefeito do Rio de Janeiro. Crivella estava presente à cerimônia desta quinta. "Quero dizer, e anuncio com muita satisfação, que na manhã de hoje [quinta] eu sancionei esse projeto mencionado pelo prefeito Marcelo Crivella, que impede o uso de armas de porte exclusivo do Exército, da Marinha, da Aeronáutica, porque é isto que aflige o povo do Rio de Janeiro", disse o presidente no evento. O crime hediondo é considerado mais grave. Estão nesse rol, por exemplo, homicídio qualificado, latrocínio e estupro. Por isso a legislação prevê punições mais severas. Quando um crime é incluído nesta lista, não é permitido, por exemplo, o pagamento de fiança para a libertação do criminoso. Além disso, a progressão de pena fica mais difícil. O projeto tramitou por três anos no Congresso Nacional e somente ganhou força diante da crise na segurança pública do Rio de Janeiro, com diversos confrontos entre policiais e criminosos. Tratar bandidos com 'rosas' Ao discursar no evento desta quinta, Temer destacou as ações do governo federal no Rio de Janeiro, como operações na área de segurança. Segundo o presidente, será feito um combate "feroz" à criminalidade. Ele afirmou, ainda, que não é possível "tratar bandidos com rosas nas mãos". "Vamos entrar cada vez mais em um combate feroz e necessário, na proporção de que a toda ação deve corresponder uma reação igual e contrária. Do tipo, quando era secretário de Segurança Pública em São Paulo, eu digo, não há como tratar bandidos com rosas nas mãos, você tem que responder à forma pela qual a bandidagem age." – Michel Temer Conforme o presidente, a ideia é auxiliar o Rio de Janeiro e "espraiar" o combate à violência pelo país. O presidente ainda chamou de "crime pavoroso" a morte do comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, no Méier, Coronel Luiz Gustavo Lima Teixeira. O caso foi citado por Crivella no discurso do prefeito. 'Suposta crise política' No mesmo evento, Temer afirmou que a "suposta crise política" dos últimos meses não parou o país. "Vejam que nestes últimos cinco, seis meses, sem embargo de uma suposta crise política, penso tenha seu final no dia de ontem [quarta-feira], mas sem embargo dessa suposta crise política, o Brasil não parou", afirmou. Nos últimos cinco meses, Temer foi denunciado duas vezes pela Procuradoria Geral da República, pelos crimes de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa. As duas denúncias foram rejeitadas pela Câmara, uma em agosto, e outra nesta quarta. Citado em delações da Odebrecht e da JBS, na Operação Lava Jato, o presidente viveu a maior crise política do governo no fim do primeiro semestre deste ano. Depois das delações, a oposição e a Ordem dos Advogados do Brasil apresentaram pedidos de impeachment de Temer. E até parte dos políticos aliados ao presidente passaram a defender que ele renunciasse. Tinha esquecido de postar essa noticia xD
  6. [Hidden Content] O atacante Roger não entrará em campo mais em 2017, porém, o seu nome ainda é notícia. O jogador que revelou que tinha um câncer, mas está em trabalho avançado para a sua plena recuperação. Nas últimas 24 horas, começou a circular uma foto com o deputado Jair Bolsonaro, que será candidato a presidência da república. Porém, algo normal, para alguns, outras pessoas não gostaram. Relatos dizem que o jogador foi ofendido, muitos desejaram a volta do seu câncer e até a sua morte por conta da imagem com o polêmico deputado. O jogador acabou apagando a sua conta no Instagram por conta de tanta repercussão. [/url] O jogador deve está apto a voltar aos gramados no início da próxima temporada. O seu contrato com o Botafogo deve ser renovado e assim poderá mostrar o seu futebol novamente e ajudar a conquista de títulos.
  7. [Hidden Content] Você já ganha menos que um chinês. Descubra por quê Pouco mais de um ano e meio foi o tempo necessário para a chinesa China Tree Gorges, dona da maior hidrelétrica do mundo, a usina de 3 gargantas, adquirir usinas no Brasil que juntas a tornaram a maior produtora de energia privada no país, ultrapassando os franceses da antiga Tractabel, há décadas no país. Casos como estes não são nem de longe uma exceção — pelo contrário. Os chineses, que já levaram o controle do aeroporto do Galeão, parte significativa da companhia aérea Azul, firmaram acordo para operar parte da Comperj, a maior refinaria do país, e se preparam para levar a operadora de telefonia Oi, têm feito cada vez mais negócios bilionários por aqui. Apenas no Rio de Janeiro, sede da Oi e da Comperj, os chineses planejam investir R$ 30 bilhões. São outros R$ 10 bilhões em trens urbanos na região metropolitana de Porto Alegre, além de outras dezenas de bilhões país afora. Segundo o próprio governo chinês, serão US$ 20 bilhões em aquisições ao longo de 2017, volume igual a soma dos últimos 2 anos. No agregado, tudo isso tem uma explicação muito simples: a China é hoje um dos países com maior liquidez no mundo (grana em caixa, em português claro), e tem se esforçado para utilizar estes recursos para ampliar sua presença no mundo e movimentar sua própria economia, fornecendo equipamentos para a construção de todas estas obras. O que parece muito por aqui, porém, é apenas uma fração daquilo que os vizinhos do país asiáticos têm presenciado. A exceção do Japão, o sudeste asiático é hoje um canteiro de obras chinês por onde quer que se olhe. A nova rota da seda, referência a primeira grande ligação dos chineses com o Ocidente, é parte de um projeto ousado, que planeja investir US$ 1 trilhão para tornar o país ainda mais atuante no comércio global. O resultado até aqui, tem sido uma espetacular demonstração de maturidade no desenvolvimento de uma logística interna, capaz de tornar as indústrias chinesas cada vez mais competitivas. Para se ter uma ideia, apenas o 8º maior porto chinês movimentou em 2015 mais carga que todos os portos brasileiros somados. Infraestrutura esta que se manifesta sob diversos aspectos. Não apenas os chineses tem sua própria gigante do comércio internacional, capaz de rivalizar com a Amazon, o Alibaba, como também uma das start ups mais promissoras do mundo na área financeira. Dona do app de mensagens mais conhecidos do país, o WeChat, a Tencent convenceu os chineses de que seria muito mais prático utilizarem o mesmo app para realizar pagamentos entre usuários. Hoje, apenas este app gira US$ 1,8 trilhão por ano em ordens de pagamentos, coisa de duas vezes o total gasto no Brasil com cartões de crédito e débito. São pagamentos feitos até mesmo para as tradicionais barraquinhas de comida que ocupam os centros das grandes cidades. Revolução Você talvez esteja se perguntando no que tudo isso impacta a vida do cidadão médio, além do dono da barraquinha que agora pode vender muito mais com maior segurança de que irá receber, mas a realidade é que absolutamente tudo que ocorre em grande escala na economia chinesa tem tido impacto significativo nos seus cidadãos. Do país que há cinco décadas enfrentou uma das piores crises de fome da história da humanidade para uma economia moderna acostumada a disputar de igual para igual o controle de grandes empresas internacionais produtoras de tecnologia e infraestrutura, os chineses percorreram um longo caminho, bastante similar àquilo que você deve se lembrar na escola como revolução industrial. Assim como na mesma revolução industrial inglesa, as condições de trabalho dos chineses eram, e ainda são em alguns casos, bastante incompreensíveis para padrões brasileiros, acostumados a um estado sempre atuante e a padrões rígidos para dignificar o trabalho. Ocorre que como naquele mesmo caso inglês, ou ocidental propriamente dito, o resultado tem sido uma brutal expansão de produtividade. Há meras três décadas, um trabalhador brasileiro produzia nada menos do que cinco vezes mais riqueza que um trabalhador chinês. Hoje, este número é apenas 5% maior. E como manda a regra na economia quando o assunto é salário: a produtividade sempre norteia os rendimentos. Isso não significa que todo ganho de produtividade se converta em salários maiores, há entretanto uma forte correlação que permite aos trabalhadores extraírem ganhos significativos. Some a isto um fator primordial em qualquer equação de crescimento econômico, a educação, e você verá que não é difícil entender que até mesmo nisso pecamos — e muito. Não mais do que quatro anos atrás, decidimos que importar iPhones e produtos eletrônicos não era uma boa ideia. Tínhamos grana para construir uma fábrica tal qual a maioria destas fábricas chinesas que produz o aparelho. Por que não fazer nosso próprio iPhone? Eis a dúvida que levou o governo brasileiro a convidar a gigante Foxxcon para instalar uma fábrica destas no interior de São Paulo. O resultado? A fábrica fechou as portas por falta de engenheiros. Bilhões desperdiçados por construirmos uma casa sem fazer o alicerce. Entre todos setores, a média de salários chineses saltou de US$ 1,5 por hora para US$ 3,3 por hora entre 2005 e 2015. No mesmo período, os salários brasileiros caíram de US$ 3,4 para para US$ 3. Na média industrial, a situação é ainda mais complicada. Por aqui o que era US$ 2,9 em 2005, se tornou US$ 2,7 em 2015. No mesmo período, os chineses viram seus salários crescerem de US$ 1,2 para para US$ 3,6, ou 70% da média salarial de um português. Ainda no mesmo espaço de tempo, os chineses se tornaram em média 8,7% mais produtivos, ao ano, contra 1,1 % da média dos brasileiros. Estagnação brasileira Como qualquer média, nossa produtividade tem alguns problemas. Por aqui, a indústria de extração sustenta praticamente todo ganho de produtividade industrial. Em outras palavras: nos tornamos mais produtivos (produzimos mais com a mesma quantidade de capital e trabalho), explorando minério de ferro do que produzindo bens de consumo por exemplo. Em 1980, um brasileiro médio produzia US$ 20 mil em riqueza por ano. Em 2015 este mesmo brasileiro produzia US$ 19 mil. Estamos há quase quatro décadas sem saber o que é produzir mais. Nossos ganhos em crescimento econômico tem sido portanto uma mera alocação de pessoas que antes trabalhavam em setores menos produtivos, como agricultura, para setores mais produtivos como industria e serviços. A despeito da aparente melhora porém, a situação geral no Brasil pouco muda há décadas, e nestes casos não há boa vontade de político que dê jeito em aumentar os ganhos reais dos trabalhadores. Mesmo em períodos de bonança econômica, nos tornamos ricos por fatores alheios a nossa própria capacidade de produzir melhor os bens que nos dispomos a criar. Entre 1992 e 2002 por exemplo, a produtividade total dos fatores, que inclui acréscimos de capital por meio de poupança, não subiu mais do que 0,87%. Entre 2002 e 2011, ganhamos 0,47%. Crescimento artificial Afinal, o que explica então o fato de termos crescido muito na ultima década? Na prática, nosso crescimento se deu por agregar mais capital, e colocarmos pessoas antes desempregadas para trabalhar. Tudo isso apesar da aparente sensação de melhora nos mantém em uma mesma situação: é cada vez mais difícil melhorar a situação de cada indivíduo no chão de fábrica. Para a propaganda oficial porém, isso gera certo ganho. Como temos pouca poupança interna e não temos um ambiente jurídico muito favorável ao investimento externo, acabamos tendo como saída para aumentar a produção apenas contratar mais pessoas. Resultado? Um aparente pleno emprego. Vimos neste período o preço da soja e do minério de ferro saltarem quase cinco vezes. Embolsamos a grana extra que caiu na conta e distribuímos em crédito para a população. As bases do nosso crescimento, porém, pouco mudaram. Ao contrário dos chineses, investimos pouco em infraestrutura. Sequer permitimos que um terminal portuário seja construído sem que antes uma licitação tenha de ser feita e a concessão aprovada pelo congresso. Nossa expansão universitária se deu por meio de programas como o FIES, criando verdadeiras fábricas de diplomas com pouco ou nenhum incentivo para formar novos matemáticos, físicos e engenheiros. Falta de competitividade Abrir um negócio na China pode ser até cinco vezes mais rápido do que no Brasil, e a despeito de não sermos em tese controlados por um governo central como os chineses, ainda temos inúmeros resquícios de controles que afastam investidores estrangeiros. Grandes empresas de papel e celulose por exemplo, são impedidas de atuar no país por não poder adquirir terras por aqui. Beneficiamos com isso empresas como a Eldorado, dos irmãos batista, em detrimento de uma competição que aproveite do nosso potencial na área. Impedimos companhias aéreas estrangeiras de entrarem no Brasil e popularizarem a aviação regional, favorecendo um setor cartelizado como o de ônibus interestaduais. Ao mesmo tempo, criamos leis que permitem jovens andarem de graça nestes mesmos ônibus, encarecendo passagens aos demais usuários. Reagimos contra inovações como uber e ainda seguimos apostando que a despeito de tudo que sabemos sobre as relações de empreiteiras com governantes, a melhor saída para o trânsito é sempre um novo túnel ou viaduto. País dos subsídios Casos como estes, que você já deve estar cansado de presenciar no seu dia a dia chegam a uma invariável conclusão: há gente demais recebendo o seu salário, e certamente não é você. Nos tornamos o país dos subsídios. São R$ 130 bilhões ao ano distribuídos a menos de 5% da população sob forma de descontos, ajudas, empréstimos e tudo o mais. Concentramos renda como poucos, e no fim, esperamos que o mesmo governo concentrador de renda venha para no salvar dos efeitos nocivos incentivados por ele. Aceitamos de bom grado uma CLT rígida que nos dê uma mínima sensação de segurança em meio ao mar de insegurança que o país se tornou para qualquer um que queira desafiar tudo isso e empreender.
  8. O Brasil na imprensa alemã (11/10) Baixa participação no referendo separatista nos três estados do Sul, ouro que Carlos Nuzman guardava num cofre na Suíça e a campanha que pedia para o Brasil perder e tirar a Argentina da Copa são destaques. Plebisul, o plebiscito realizado pelos separatistas na região sul do Brasil Frankfurter Allgemeine Zeitung – O sonhado Estado sem nome, 11/10/2017 "O resultado da votação tem uma mensagem clara. E não é a primeira vez. No referendo nos estados sulistas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, no sábado, nada menos que 96,3% dos votantes se declararam a favor de uma independência do Brasil. Já em outubro do ano passado, 95,7% haviam votado a favor da fundação de um novo Estado. Então cresce nos três estados do sul, com uma população conjunta de 29,5 milhões de habitantes, um verdadeiro movimento popular que busca a independência da República Federativa do Brasil, com seus quase 210 milhões de habitantes? Por mais expressivo que o elevado percentual dos separatistas no Plebisul tenha sido, é também decepcionante, para os organizadores, a participação na votação simbólica, sem valor legal. Apenas 414 mil eleitores atenderam ao chamado, ou menos de 2% dos que estavam aptos a votar. A meta de até 2 milhões ficou bem longe de ser alcançada. Alguns motivos apresentados pelo separatistas do sul do Brasil são semelhantes aos dos separatistas catalães. Os ricos estados do sul pagam mais ao orçamento de Brasília, onde o dinheiro de impostos é desperdiçado por políticos corruptos e incompetentes, do que recebem de volta, afirmam. Mas, ao contrário dos catalães, os sul-brasileiros não têm uma língua própria. Eles também – ainda – não têm um nome para o seu sonhado Estado. Por enquanto, o slogan deles é 'O Sul é o meu país'. Uma bandeira azul-escura com três estrelas brancas serve de estandarte nacional provisório. Capital e sede do governo deve ser Lages, uma cidade localizada no centro de Santa Catarina, com cerca de 150 mil habitantes." Süddeutsche Zeitung – 16 barras de ouro num cofre na Suíça, 09/10/2017 "Ouro para o Brasil! Nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, esse foi um caso raro. Os atletas do país anfitrião chegaram ao topo do pódio apenas sete vezes. O seu principal dirigente olímpico é, porém, um verdadeiro menino dourado: Carlos Arthur Nuzman elelou seu patrimônio privado em 457% nos dez anos em que exerceu diversos cargos de ponta. Isso foi comunicado pela promotoria pública. Uma chave que ela encontrou durante uma blitz em setembro, nas propriedades do membro do COI, até mesmo conduziu diretamente para o ouro: 16 barras, escondidas num cofre em Genebra, no valor de 560 mil euros." Die Welt – Torcedores pedem ao Brasil que perca de propósito, 10/10/2017 "'Uma Copa do Mundo sem a Argentina seria uma catástrofe', resume o antigo ídolo Mario Kempes. No país organizador é o dirigente esportivo Vitali Mutko que se preocupa com um evento sem os craques: "Não consigo nem imaginar isso". Só no Brasil a flauta corre solta. Uma campanha dos torcedores até mesmo pede para a própria equipe perder de propósito no último jogo, contra o Chile, que aí iria se classificar. Uma Copa sem o vizinho e sem Messi – na terra de Neymar, isso não soa nada mal." AS/ots [Hidden Content]
  9. Fonte: Agência Brasil// Nos últimos meses, militares e diplomatas avaliaram dez operações da ONU para definir onde a presença militar brasileira seria mais proveitosa – tanto para a população local quanto para a tropa e para o Brasil. Foram analisados aspectos como nível de hostilidade, intensidade das operações, influência ambiental, projeção do país no exterior, custos do apoio logístico, infraestrutura local, além da interação nacional com os países que já atuam nestas missões e fatores geopolíticos. .: Leia também: BRASIL quer comandar nova missão de paz após missão no Haiti Do trabalho resultaram duas listas, que, segundo o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, coincidem ao priorizar o envio do efetivo brasileiro para a República Centro-Africana. Isso caso o Brasil decida participar de uma nova missão após os 13 anos à frente da operação haitiana. A decisão final caberá ao presidente Michel Temer e ao Congresso Nacional. MISSÃO NA ÁFRICA “Estamos prontos para fazer uma apresentação [dos estudos]para o presidente. Se ele nos der sinal verde para continuarmos analisando o assunto, iremos conversar com o Congresso Nacional, a quem compete autorizar o envio de tropas e aprovar a destinação dos recursos financeiros necessários. Como de costume, a ONU só formalizará qualquer convite após estar tudo encaminhado e aprovado”, explicou o almirante, revelando que o governo tem até o fim de outubro para responder às consultas informais feitas pela ONU. “A organização só formaliza seus pedidos após os países responderem informalmente se têm ou não condições de atendê-la”. A maioria das missões de paz analisadas pelas Forças Armadas e pelo Itamaraty ocorre em território africano: Mali, Sudão, Sudão do Sul, República Democrática do Congo, Saara Ocidental (que é um território não autônomo no noroeste africano) e República Centro-Africana. Outras três missões ocorrem no Oriente Médio, no Chipre, Líbano e Síria. De acordo com o chefe do Estado-Maior, a lista inicial de opções das Forças Armadas era encabeçada por Chipre e Líbano, mas como a ONU não necessita de reforços militares nesses locais, destacou-se a República Centro-Africana, para onde uma equipe deve viajar em breve, “para fazer estudos mais aprofundados e conversar com as autoridades locais”. Procurado, o Itamaraty não se pronunciou sobre o assunto até a publicação desta reportagem. Encravado no centro do continente africano, o país de cerca de 5 milhões de habitantes desde 2012 sofre os efeitos da guerra civil resultante dos confrontos entre a coalizão rebelde Seleka, de maioria mulçumana, e milícias Anti-Balaka, de maioria cristã. Segundo a ONU, o conflito entre os dois grupos já provocou o deslocamento de mais de 22 mil civis. Mais de 2 milhões de pessoas dependem da assistência humanitária. “Houve uma coincidência muito grande entre nossa análise e a do Itamaraty. Em termos de prioridades, a República Centro-Africana ocupou a terceira posição em ambos os estudos. A África, sem dúvida nenhuma, é uma área de interesse do Brasil”, explicou o almirante. Destacando que a decisão final pela participação ou não do Brasil em qualquer missão é política e que dificuldades orçamentárias podem inviabilizar o envio das tropas brasileiras, o almirante informou que a presença nacional em regiões de conflito ou crise humanitária contribuem também para a maior projeção do Brasil no cenário internacional. O Brasil precisa de uma maior inserção no mundo. A participação nas missões de paz contribuem para isso. Sem dúvida, a situação financeira é um limitador para enviarmos tropas para outros países, mas a decisão final é política e deve levar em conta o quanto o Brasil quer ter uma maior inserção mundial”, declarou o almirante. MISSÃO DE PAZ NO HAITI O primeiro dos quatro voos programados para trazer de volta ao Brasil parte dos militares que permanecem no Haiti protegendo as instalações e equipamentos brasileiros chegou no último domingo (24) a Guarulhos, em São Paulo. Ao todo, retornarão cinco escalões, cada um trazendo aproximadamente 200 militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira. O retorno da tropa marca o encerramento da participação brasileira no país caribenho, após 13 anos. A viagem de volta foi adiada depois que o Secretariado das Nações Unidas autorizou a extensão excepcional das operações humanitárias das tropas brasileiras na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (Minustah), em razão das ameaças das passagens dos furacões Irma e Maria pelo Caribe. Os dois furacões de categoria cinco atingiram a região em menos de duas semanas. Só o Maria matou pelo menos 30 pessoas na ilha de Dominica e pelo menos outras 11 nas ilhas de Saint Martin e Saint Barth, nas Antilhas Francesas. “Estávamos monitorando o comportamento do Furacão Maria, que acabou desviando e, possivelmente, causará um impacto menor no Haiti. O primeiro voo trazendo os militares brasileiros parte hoje do Haiti e chega em Guarulhos esta madrugada. Os próximos chegam entre os dias 24 e 27 de setembro. Esperamos embarcar todo o material em navios no início de outubro e tão logo isso ocorra traremos de volta os 150 últimos homens”, afirmou o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas. Desde junho de 2004, quando foi escolhido para comandar o braço militar da missão de estabilização formada por tropas de 16 países, o Brasil enviou ao Haiti cerca de 37,5 mil militares. O maior contingente é o do Exército, que mobilizou 30.359 homens e mulheres. A Marinha enviou 6.299 militares e a Aeronáutica, 350. Vinte e cinco militares brasileiros morreram durante o período, incluindo dois generais. Além de prestar ajuda humanitária ao povo haitiano, o governo brasileiro enxergou a oportunidade de projetar a imagem do Brasil internacionalmente, o que coincidiu com o projeto estratégico de tentar consolidar a liderança regional brasileira. Ao longo dos anos e principalmente no início da missão, não faltaram críticas à iniciativa, entre elas as de entidades que classificavam a presença militar estrangeira como uma ação intervencionista, que desmobilizava a capacidade do Haiti de encontrar soluções democráticas para seus próprios problemas políticos. [Hidden Content] TL;DR TROPAS BRASILEIRAS devem assumir Missão de Paz na República Centro-Africana
  10. Lula lidera cenários para 2018 e Bolsonaro dispara em segundo Petista mantém margem larga sobre concorrentes enquanto deputado do PSC se distancia de Marina Silva na disputa pelo segundo turno parece que a img ficou meio embaçada, se quiserem ler na integra: [Hidden Content]
  11. A situação do povo da Venezuela é tão dramática que recentemente fizemos uma matéria aqui comentando sobre como 1 Gold de World of Warcraft já valia mais do que 1 Bolívar, a moeda venezuelana, mas, como era de se esperar, mais casos bizarros como esse começaram a surgir, e um deles está acontecendo dentro do MMORPG oldschool Runescape. Segundo uma matéria de um jornal venezuelano publicada há cerca de três semanas, há muita gente no país farmando gold em Runescape para poder se sustentar, e isso acabou rendendo um guia no Reddit, postado por um jogador. O guia em questão era um guia de “como matar venezuelanos que estão farmando gold dentro de Runescape”, afinal de contas, farmar gold dentro do jogo não seria uma atitude legal, e, na verdade, é algo altamente condenável pelos jogadores. O interessante é que, após essa postagem no Reddit, a repercussão da comunidade não foi defendendo quem mata os gold farmers, e sim defendendo os venezuelanos que estão farmando dinheiro dentro do jogo para não morrerem de fome por não ter outra alternativa viável dentro do país. Comentários como “não é esse post que me decepciona, é o racismo evidente e os comentários exagerados de quem não faz ideia de como é virar numa situação onde a sua economia está efetivamente em queda livre”, podem ser encontrados no tópico, que foi fechado por um moderador. De acordo com a postagem, é possível ganhar entre 2 e 3 dólares por hora farmando gold dentro do jogo, o que já paga mais do que a maioria dos trabalhos com curso superior no país. De acordo com o The New York Times, a inflação achatou tanto os salários que o salário mínimo do país equivale a cerca de 5 dólares por mês, ou seja, é possível tirar um salário mínimo do país com cerca de 2 horas de trabalho dentro do jogo. Depois de farmado, o gold era vendido em lojas virtuais do mercado cinza de Runescape, com os pagamentos geralmente sendo feitos em dólar, bitcoin ou outras criptomoedas. Recentemente, a publisher do jogo nerfou um dos chefes do game, conhecido como Zulrah, que dava cerca de 5 dólares em itens por dia caso os jogadores farmassem ele. Depois do nerf, o chefe acabou deixando de ser economicamente viável, e provavelmente dificultou a vida de alguns jogadores do país. Além dessa alternativa, há muitos venezuelanos minerando criptomoedas, como o Ethereum e o Monero, que também acabam sendo alternativas mais rentáveis do que trabalhar 40 ou mais horas por semana em diversos trabalhos. Matéria por: Eric Arraché, Critical Hits
  12. Mike Ybarra da Microsoft diz que o apelo da consola é outro. Em entrevista com os nossos colegas do Eurogamer da Inglaterra, Mike Ybarra da Microsoftcomentouque o Xbox One X não precisa chegar acompanhado de exclusivos, uma vez que o propósito do console é outro. Ybarra defende que o Xbox One X é parte de uma família de plataformas e que enquanto o Xbox One S é para as famílias, com o seu preço mais apelativo, o Xbox One X é para os jogadores mais dedicados, que querem as melhores versões dos jogos. "Quando olho para a família Xbox, não sinto que temos que apresentar seis novos jogos para o X, correrá tudo o que já foi lançado, a retro-compatibilidade funciona nela, elementos como isso," disse Ybarra. "Não sei se ainda estamos no mundo em que temos de ter grandes exclusivos apenas para um console, ao invés dos jogos que compras funcionarem e terem melhor aspecto no X. É o utilizador que escolhe. Para nós, é esse elemento de escolha, ao invés de apresentar um exclusivo e apresentá-lo juntamente com uma console." Ybarra concorda com Phil Spencer, patrão da divisão Xbox, e sente que o mais importante é dar a opção de escolha aos jogadores, razão pela qual também acredita que o Xbox One S venderá mais unidades do que o X. O homem da Microsoft também acredita que o console foi "construído para o jogador de topo que quer a melhor versão dos jogos - é esse o nosso alvo com o Xbox One X." O Xbox One X estará nas lojas a 7 de Novembro e custará 499.99€ (R$ 1,880 -conversão direta-).
  13. Fonte: [Hidden Content] Efeito Cobra no financiamento estudantil: novo Fies pode incentivar a informalidade Na última semana, o governo lançou o novo o Financiamento Estudantil (Fies). O objetivo é tornar o programa sustentável, uma vez que a inadimplência gira em torno de 46%, segundo afirma o próprio governo. Para isso houve uma grande mudança: no modelo antigo havia uma carência de 18 meses, mas a partir de agora, o bolsista passa a pagar o financiamento assim que terminar o curso e conseguir um emprego formal. O efeito colateral que esse novo modelo pode causar é conhecido em economia como “Efeito cobra”: a tentativa de solução de um problema, na verdade, pode agravá-lo. O termo surgiu na época do domínio colonial da Grã-Bretanha sobre a Índia. O governo britânico estava preocupado com o número de cobras venenosas em Délhi (Índia). Assim, ofereceu uma recompensa para cada cobra que um cidadão entregasse ao governo. Por um tempo, a estratégia funcionou muito bem. Mas, logo acabou virando uma oportunidade de negócio. Com base nessa estratégia do governo, muita gente passou a criar cobras. Em pouco tempo, criadouros imensos haviam se espalhado. Percebendo o equívoco da medida, o governo cancelou a iniciativa. Os criadores de cobras, que agora possuíam algo que não tinha mais valor, simplesmente as soltaram. Como resultado, a população de cobras ficou muito maior do que antes do programa. A solução que o governo acreditava que ia resolver o problema ignorou as consequências não intencionais e apenas piorou a situação. No caso do Fies, a intenção pode ser boa, mas o “Efeito Cobra” é um efeito colateral possível. Imagine um recém-formado que terá uma dívida de R$ 50 mil. Na hora de ser contratado, ele simplesmente pode pedir para não ser registrado formalmente, assim não precisa dar início ao pagamento do Fies tão cedo. Assim o governo pode aumentar a informalidade da economia e ainda a inadimplência do FIES. A pergunta que surge então é: como o governo atingiria a mesma meta sem gerar este efeito subversivo? Simples, dando descontos para quem pagasse o mais rápido possível. Assim, o aluno iria querer pagar a dívida quanto antes, independentemente de ter emprego formal ou não, pois haveria incentivos para isso. Exemplo de políticas pública que não levam em conta as consequências não intencionais está cheio. Mas os governos parecem não aprender. Em novembro de 1989, a administração da Cidade do México impôs um rodízio de carro para acabar com este problema crônico da cidade. O que aconteceu após a introdução do rodízio de carros? Os estudos indicaram que o uso total do carro na Cidade do México aumentou após a introdução do rodízio. Em anos antes da regulação, a Cidade do México, em média, exportava 74 mil veículos usados anualmente para o resto do país. Mas, nos primeiros quatro anos do regulamento, a Cidade do México parou de exportar e passou a importar 85 mil veículos por ano, uma drástica mudança. Além disso, os mexicanos começaram a utilizar carros velhos que possuíam, dado a nova restrição. Assim, poderiam revezar o uso dos veículos de acordo com o dia do rodízio. Com isso, não só o trânsito piorou, como os índices de poluição também pioraram. Premiar as pessoas para incentivar determinado comportamento é uma medida comumente adotada pelos governos. Assim como penalidades e multas para coibir atitudes indesejadas. Mas apesar da inteligência dos formuladores de políticas públicas, há uma chance muito boa de que alguém mais inteligente do que você descobrir uma maneira de burlar — em muitos casos de maneira legal — a política implementada. O Efeito Cobra está em todos os lugares. Post em parceria com Leonardo de Siqueira Lima, economista da GO Associados e Mestre em Economia pela Barcelona Graduate School of Economics
  14. Desaparecimento de jovem de 17 anos em Goiânia pode ter ligação com ‘Desafio da Baleia Azul’ - Jornal O Popular Veja mais em: [Hidden Content] O que dizer disso? :O
  15. Segundo o TMZ, músico cometeu suicídio em sua casa na Califórnia (EUA) Chester Bennington, cantor da banda Linkin Park, foi encontrado morto em sua casa em Palos Verdes Estates, na Califórnia (EUA), informa nesta quinta-feira (20) o site TMZ. Segundo a publicação, que cita fontes policiais, o músico cometeu suicídio. [Hidden Content]
  16. Na ficção, apagar memórias, lembras e a mente inteira de alguém é algo bastante frequente. Na franquia “Homens de Preto”, um simples aparelho que se parece com um flash de câmera fotográfica pode limpar o cérebro e deixá-lo prontinho para ser preenchido novamente com as informações que quisermos. É claro que na vida real nada é tão simples assim, mas cientistas da Universidade de McGill e de Columbia, no Canadá e nos Estados Unidos respectivamente, descobriram como apagar certas memórias específicas de seres menos complexos, como lesmas. Para isso, os pesquisadoresbloquearam um dos dois tipos específicos de moléculas de proteína cinase M que mantêm a força das lembranças associativas e não associativas "Observar os circuitos neurais, sobretudo a identidade de células específicas que codificam uma memória, não é tão simples, então imagine examinar se elas estão alterando a força delas", afirmou Schacher. "No estudo, fomos capazes de reverter alterações de longo prazo na força sináptica em sinapses conhecidas por contribuir com formas diferentes de lembranças que duram várias semanas." E para que isso serve ? Se você está se perguntando se isso vai poder ser usado como lavagem cerebral sobre as pessoas, a resposta é: não sabemos. Mas a função principal de uma descoberta como essa, assim que, obviamente, for possível realizar algo parecido com seres humanos, é o tratamento de traumas, que geralmente são despertados por memórias ruins que poderiam ser apagadas ou, mais fácil ainda, amenizadas, diminuindo a força delas em nosso cérebro. Assim, seria possível inventar remédios ou procedimentos que alteram essas lembranças específicas, assim como acontece no filme “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”. A película nos mostra que é um pouco arriscado brincar com esse tipo de coisa, mas com um pouco de responsabilidade, o tratamento pode ser essencial para certos problemas psicológicos. E parece que não estamos tão longe assim da ficção se pensarmos bem você poderia chegar para uma pessoa em 1940 e falar que teríamos um computador portátil que caberia na palma da mão com seu super micro chip que faria qualquer tecnologia da época parecer nada e ela iria rir da sua cara e li chamar de louco, e meus amigo vivendo e apendendo e talvez a ficção não esteja tão longe ^^
  17. Ataque exigirá 'investigação internacional para identificar os culpados', diz Europol. Empresas e órgãos públicos de 14 estados mais o DF foram afetados no Brasil. Dezenas de milhares de computadores de uma centena de países, entre eles Rússia, Espanha, México e Itália, foram infectados na sexta por um vírus "ransonware", explorando uma falha nos sistemas Windows, exposta em documentos vazados da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA). Informação Completa em [Hidden Content]
  18. O que é cracker ? Os crackers são pessoas aficionadas por informática que utilizam seu grande conhecimento na área para quebrar códigos de segurança, senhas de acesso a redes e códigos de programas etc. Em alguns casos, o termo “Pirata Virtual” é usado como sinônimo para cracker. Diferente do que se prega na mídia, hackers e crackers possuem propósitos totalmente diferentes. Enquanto o primeiro grupo visa tornar a informática acessível a todos e apenas apontar possíveis falhas de um sistema, o segundo conjunto invade computadores e quebra sistemas de segurança procurando lucrar o máximo possível com a ação. Apesar de alguns hackers irem de encontro à lei, eles são movidos pela intenção de promover o conhecimento e o auxílio a terceiros, mas nunca de autopromoção ou destruição do trabalho alheio. Cracker e crakeado. Qual a diferença? Os termos utilizados para nomear os indivíduos na internet também dão origem a outras gírias virtuais. O cracker, como explicado acima, é a pessoa que invade os sistemas a fim de quebrar os códigos de segurança. Quando o indivíduo tem sucesso em suas ações, diz-se que o programa invadido foi crackeado, ou seja, teve a sua segurança quebrada. Há ainda o termo crack, que normalmente é utilizado para fazer referência a uma ferramenta desenvolvida pelo cracker a fim de alterar chaves de registro e licenças de uso de aplicações pagas. Lembre-se: programa crackeado significa pirateado, ou seja, é crime! Portanto, tome muito cuidado com seus projetos ou se deseja fazer algo similar, pois, assim como no mundo real, há inúmeras armadilhas nos esperando a cada clique ou descuido. Outros grupos Além dos crackers de programas ou sites, há os Phreakers. Estes são mais focados em invadir equipamentos eletrônicos e sinais de TV a cabo ou burlar sistemas telefônicos. Há também os Carders, que são os crackers de cartões de crédito e sua meta é roubar senhas para poder realizar desde compras online até saques em caixas eletrônicos entre outros, mas a e já e assunto para outro dia. OBS. esse poste tem apenas a meta de deixa informado as pessoas que o leem ou seja para pessoas que não sabem distinguir muito bem termos e assuntos ate a próxima.
  19. A Ubisoft está aproveitando a onda de lançamentos mobile e não está poupando esforços para fazer o seu nome no mercado de bolso. South Park: Phone Destroyer chegou recentemente para Android e iOS, e agora é a vez de Assassin’s Creed ganhar um novo jogo para smartphones, chamado de Assassin’s Creed Reblellion. A desenvolvedora o descreve como um RPG de estratégia no qual você deve ter a sua própria base de assassinos e enviá-los para missões externas para cumprir objetivos. Pelo pouco que podemos ver no trailer abaixo, parece que teremos um jogo bem similar ao já existente Fallout Shelter, que foca em administração de recursos e mecânicas de combate mais simples. O game contará com mais de 20 assassinos famosos da franquia, como Altair, Ezio, Claudia, Aguilar, Shao Jun e muitos outros, mas também terá outros 20 inéditos que foram criados especialmente para o jogo mobile. Apesar de misturar diversas épocas, a ideia é que o título seja canônico na história – ou algo parecido com isso. "O jogo chega para aparelhos iOS 8 ou superior e Android 4.1 ou superior com 2 GB de RAM" Assassin’s Creed Rebellion se passará na Espanha duranta a inquisição espanhola e os personagens icônicos aparecerão por conta de uma nova versão da Animus que mistura memórias de diversos assassinos. O jogador poderá aperfeiçoar seus membros na fortaleza e também poderá coletar fragmentos de DNA em missões para ganhar novos personagens. O game ainda não tem data para chegar, mas sabemos que é “em breve”. O título estará disponível para dispositivos com iOS 8 ou superior e aparelhos com Android 4.1 ou superior e com pelo menos 2 GB de RAM.
  20. Bom venho trazendo um acontecimento no Rio de Janeiro na zona oeste em santa cruz onde um morador de rua que vivia excluído da sociedade e do mundo é resgatado por uma senhora. Quando você pensa que nada pode mudar a vida da quela pessoa, você passa na rua e vê ele na quele estado degradante e que ele acabará da quela forma sem ninguém ajuda lo daí vem uma pessoa de coração bom disposta a arriscar a segurança de sua casa para tentar ajudar aquele individuo e o resultado é esse.
  21. A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou proposta do deputado Marcelo Aguiar (DEM-SP) que garante auxílio de até R$ 300 à mãe solteira que não tiver condições de se sustentar. Esse auxílio, que será custeado com recursos do Orçamento Geral da União, poderá variar de acordo com o valor da renda constante da declaração de hipossuficiência da mãe solteira. O texto (PL 6475/13) recebeu parecer favorável da relatora, deputada Creuza Pereira (PSB-PE). “Ainda existem pessoas que condenam as mães solteiras por terem dado origem a uma vida sem a companhia de um cônjuge. Sendo assim, a criação de um benefício assistencial visa a promover a inclusão social desse segmento importante da população”, justificou a deputada. Tramitação O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania ÍNTEGRA DA PROPOSTA: PL-6475/2013 Reportagem – Emanuelle Brasil Edição – Regina Céli Assumpção A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias' [Hidden Content]
  22. O Brasil tem 67 milhões de mães, segundo pesquisa do Instituto Data Popular. Dentre elas, 31% são solteiras (cerca de 20 milhões) e 46% trabalham. Com idade média de 47 anos, 55% das mães pertencem à classe média, 25% à classe allta e 20% são de classe baixa. Pouco mais de um terço dos filhos adultos (36%) ajudam financeiramente as progenitoras. Comportamento De acordo com o estudo, as mães do século 21 são menos conservadoras e mais interessadas em tecnologia do que as do século 20. Entre as mães do século passado, 75% acreditavam que uma pessoa só pode ser feliz se constituir família. O percentual de verdade dessa premissa cai para 66% para as mães da nova geração. Para 58% das mães da geração anterior é um dever da mulher cuidar das refeições. Enquanto esse pensamento prevalece em apenas 45% das progenitoras do século 21.... - Veja mais em [Hidden Content]
×
×
  • Create New...